NUNO JÚDICE

Uma Geografia Secreta

A partir do título do novo livro de Sara F. Costa, «O movimento impróprio do mundo», entramos num espaço que gira em torno de dois conceitos: movimento associado a deslocação, a viagem, e mundo relativo ao espaço em que esse movimento se dá. No entanto, se por mundo entendermos a Terra, o planeta, o movimento que logo lhe associamos é o de rotação, com a sua dupla regularidade ligada ao dia, que é a rotação do planeta sobre si, e o ano, que é a rotação da Terra à volta do Sol. Estaríamos assim perante um tópico da poesia que fala dessa dualidade nocturna e diurna, e da mudança das estações ao longo do ano.

 

ISABEL CRISTINA MATEUS

Transfigurar a Fome ou o sentimento duma ocidental

A Transfiguração da Fome de Sara F. Costa, publicado pela editora Labirinto em 2018, foi a obra vencedora em Maio de 2019 do Prémio Literário Glória de Sant’Ana para o melhor livro de poesia em língua portuguesa. Um prémio de perfil internacional, aberto ao mundo lusófono, que desde 2013 distinguiu autores como o moçambicano Eduardo White (2013), a portuguesa Gisela Ramos Rosa (em 2014 e 2018), o galego Mário Herrero Valeiro (2015), os portugueses Samuel Pimenta (2016) e Maria João Cantinho (2017).

 

SARA FIGUEIREDO COSTA

A China em Verso Livre

Traduz-se muito pouca literatura chinesa para português. A escassez de tradutores habilitados em ambas as línguas e sensíveis às minudências do discurso literário explicará a situação, mas não resolve este lapso que afasta os leitores de uma produção tão rica como a chinesa. A mais recente edição a contribuir para colmatar este afastamento é uma antologia de poesia que reúne autores do período moderno e contemporâneo. Publicada em Portugal pela editora Labirinto, Poética Não Oficial – Poesia Chinesa Contemporânea resulta de uma escolha feita por Sara F. Costa, que também assumiu a tarefa da tradução

 

MARTA MOREIRA

A Transfiguração da Fome não se lê: come-se.

São setenta poemas em que se desbravam narrativas múltiplas, unidos por vários fios condutores. Se José Luís Peixoto, na sua nota introdutória, se lhes refere como um mapa, este seria porventura uma mapa de estações de metro: várias linhas que se cruzam em diferentes momentos, mas indo em direções distintas. Várias vidas que, desde logo, percebemos partilharem todas morada na mesma cabeça.

 

ANA PAULA DIAS

Sara F. Costa e os poetas que sonham ser cavalos

Sara F. Costa (SFC) vive atualmente em Pequim onde coordena eventos literários no coletivo artístico internacional Spittoon, com sede nesta cidade, o qual realiza eventos em toda a China e publica uma revista literária e outra de banda desenhada, com o objetivo de reunir escritores, artistas e amantes da literatura, chineses e estrangeiros. A associação organiza regularmente sessões literárias às quintas-feiras em Pequim, uma noite de leitura mensal em Chengdu, um evento mensal em Gotemburgo, na Suécia, e colabora num outro evento de poesia musical denominado Spittunes. A Spittoon Literary Magazine é uma publicação bianual sediada em Pequim, dedicada a divulgar a arte e a literatura chinesas em língua inglesa. Esta equipa exclusiva de escritores ocidentais e chineses procura, traduz e publica as melhores e mais emocionantes novas vozes da China.

 

FERNANDO SALES LOPES

Notas sobre “A Transfiguração da Fome”

Não é nada fácil navegar por este turbilhão de teres, seres e sentires que a poeta labora neste extenso poema. Um poema de muitos poemas. Amores e desamores. Uma viagem de muitas viagens vertiginosas que fluem numa crescente desconstrução procurando um equilíbrio que irá desaguar na ruptura patente nesse poema epílogo “Império ao meio”:
dizem que sem medo há sempre destino / mas eu escrevi-te do fundo do tempo,/
já não existias. /
este é o império que se partiu ao meio/ nas nossas mãos./

 
  • Facebook

Todos os Direitos Reservados